Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2008

E já começou a temporada de roubo de impressões digitais

O Registerreporta que um clube de hackers da Alemanha tem os templates das impressões digitais do Ministro do Interior daquele país, Wolfgang Schäuble (CDU). Na edição mais recente da Datenscheudler, editada pelo tal clube, o Chaos Computer Club, que trouxe uma folha especial que coleta a impressão digital de quem toca e que poderia ser usada para enganar leitores de impressões digitais.
Os leitores mais assíduos sabem que este blog já denunciou como é fácil copiar uma impressão digital.

Enterra-me aqui

Eu quero ser enterrado nos jardins do Bundesverfassungsgericht (BVerfG) quando eu partir desta para melhor.


Mais outra linda decisão do melhor tribunal constitucional do mundo. O BVerfG decidiu que a polícia não pode sair filmando as placas dos carros e lendo-as para comparação com banco de dados de carros suspeitos. A decisão foi tomada contra os lands de Hessen e Schleswig-Holstein.
Íntegra da decisão: BVerfG, 1 BvR 2074/05 vom 11.3.2008, Absatz-Nr. (1 - 185)

Monografia sobre o imbecil "quem não deve não teme"

Achei uma interessante monografia de Daniel Solove (blogueia no Concurring Opinions) da Universidade George Washington que é um belo destruidor de ilusões de "pessoas" que acreditam na frase "quem não deve não teme". A monografia chama-se 'I've Got Nothing to Hide' and Other Misunderstandings of Privacy no San Diego Law Review. Abstrato da monografia:
In this short essay, written for a symposium in the San Diego Law Review, Professor Daniel Solove examines the nothing to hide argument. When asked about government surveillance and data mining, many people respond by declaring: "I've got nothing to hide." According to the nothing to hide argument, there is no threat to privacy unless the government uncovers unlawful activity, in which case a person has no legitimate justification to claim that it remain private. The nothing to hide argument and its variants are quite prevalent, and thus are worth addressing. In this essay, Solove critiques th…

É sempre em nome de alguma coisa

O Folha de S.Paulo de hoje reporta que o Sindicato dos Agentes Fiscais de Rendas do Estado de São Paulo (Sinafresp) representou perante à Promotoria da Cidadania de São Paulo contra um convênio realizado pela Secretaria da Fazenda paulista com o Instituto de Desenvolvimento Gerencial (INDG) para o planejamento fiscal da Secretaria.
O problema do tal convênio é que o INDG tem acesso a toda base de pagamentos e recebimentos de impostos do estado de São Paulo como IPVA e ICMS. Além disso, o financiamento do projeto é problemático, uma vez quem financia é o Movimento Brasil Competitivo, e um vazamento de dados poderia ser útil para empresas ligadas a tal movimento. Como disse o presidente do Sinafresp, Lauro Marin: Qualquer pessoa com dois neurônios consegue identificar um contribuinte com esse grau de detalhamento. Quantas cervejarias existem em Itu [SP], por exemplo? Não dou o nome, mas dou todas as pistas que levam à conclusão de quem é que está pagando ou não imposto, quem está arrecada…

Pesquisa interessante sobre o US-VISIT

Li uma pesquisa interessante sobre a probabilidade de erros no US-VISIT (informações em português), o sistema de controle de entrada de estrangeiros nos EUA. O estudo chama-se "Using fingerprint image quality to improve the identification performance of the U.S. Visitor and Immigrant Status Indicator Technology Program" de Lawrence M. Wein and Manas Baveja e foi publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America (Proc Natl Acad Sci U S A).
Aqui vai um gráfico do estudo com a correlação entre o tempo de coleta de impressões digitais, o aumento de pessoal e a probabilidade de detecção:



















O US-VISIT já foi até contaminado por um vírus marroquino em 2005. E, de brinde, um link da descomplicada arquitetura de rede do mesmo.

Dados do passaporte de Obama são acessados indevidamente

Trabalhadores terceirizados do Departamento de Estado dos EUA acessaram indevidamente dados pessoais do passaporte do senador Barack Obama (D-IL). Houve três acessos: em 9 de janeiro, 21 de fevereiro e 14 de março. Para pedir um passaporte americano, o requerente precisa apresentar uma prova de cidadania americana como certidão de nascimento ou de naturalização, um documento de identidade governamental com foto, número do seguro social (SSN), endereço, telefone e outros dados sensíveis.

Vai fundo, Gary

Os sonhos doentes de Gary Pugh de coletar DNA de crianças "problemáticas" estão sendo realizados mais rápido do que ele pode pensar. O Daily Telegraphreporta que 1 em cada 10 menores de 18 anos estarão no UK National DNA Database em 2008, sendo que 44 crianças menores de 10 anos, a idade de imputabilidade penal na Inglaerrra e no País de Gales.

Governo quer lançar carteira do trabalho eletrônica

O Folha de S.Pauloreporta hoje que o Ministério do Trabalho pretende lançar no dia 1º de maio um cartão magnético que substituirá a atual carteira de trabalho. Os primeiros cartões serão emitidos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e mais três estados do Norte e Nordeste. Uma declaração de Luis Carlos Moro, advogado trabalhista: A carteira é um documento simbólico, que já foi inclusive usada como atestado de bons antecedentes. Mas hoje traz problemas. O trabalhador precisa entregar o documento original para a Previdência Social, por exemplo, ao pedir a contagem do tempo para aposentadoria. E corre o risco de perder o documento. Seria um avanço conseguir reunir a base de dados do Ministério do Trabalho e da PrevidênciaUma pergunta, sr. Moro. E o que acontece se o sistema tiver uma pane e perder-se dados?

Sem noção quer DNA de crianças "problemáticas"

Gary Pugh, diretor de serviços forenses da Scotland Yard, teve a brilhante idéia de colocar o DNA de criancinhas no UK National DNA Database. Pugh disse ao ainda mais esquerdista do que a BBC The Observer: If we have a primary means of identifying people before they offend, then in the long term the benefits of targeting younger people are extremely large.
Se nós tivermos meios primários de identificar pessoas antes que elas cometam crimes, então, no longo prazo, os benefícios de focar em pessoas jovens são extremamente grandes.Mas espera aí. Se tu tens como prever que alguém cometerá um crime no futuro, então a coisa mais racional a ser feita é operacionalizar a prevenção do dito crime, ao invés de guardar uma evidência identificante para uso após o crime ocorrido e o dano social feito.
A decisão é tão absurda que até a Associação de Chefes de Polícia (ACPO - Association of Chief Police Officers), notória instituição tarada pelo DNA alheio, manifestou-se contrária a idéia de Pugh.

Identifica alguma célula neuronal em teu cérebro!

O deputado Valtenir Pereira (PSB-MT) acha que sabe alguma coisa de sistemas de saúde, algo que passa tão longe do currículo dele como seu amor à privacidade; ele também dá palpites sobre a privatização da Vale com um rigor científico típico de uma taróloga. Então ele propõe o PL 2634/2007, cuja ementa é a seguinte:

Dispõe sobre a implantação do Sistema Nacional de Cadastro da Saúde a ser utilizado no armazenamento e gerenciamento, on line dos registros clínicos dos pacientes.Pelo jeito, o nosso "amigo" e ex-petista Pereira não conhece a luta da Associação Médica Britânica (BMA - British Medical Association) para impedir que todos os dados médicos dos britânicos sejam compilados num único banco de dados que custa estratosféricos £ 12 bi ( R$ 41,43 bi).

O artigo 2º do PL diz:
Art. 2º O Poder Público instituirá cadastro eletrônico de identificação unívoca do cidadão e de informação sobre o atendimento individual prestado pelos serviços de saúde, públicos e privados.
Parágrafo único…

Câmeras e o descombate ao crime

No Zero Horade hoje:
O presidente da Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP), Enio Roberto dos Reis, engrossa as críticas.

- Estamos fazendo a nossa parte. Colocamos cofre boca-de-lobo, implementamos bilhetagem eletrônica, colocamos câmeras, que surtiram poucos efeitos. Agora, não podemos dar um revólver para o motorista e para o cobrador -reclamou Reis.E quem disse que câmeras previnem o crime?